Vincent Rottiers

Vincent Rottiers

(1986)

Biografia

Vincent Rottiers fazia teatro na escola e decidiu contratar um agente, mas sem qualquer sucesso. Ele foi finalmente descoberto, logo depois, na rua. Foi assim que obteve, aos 15 anos, o papel principal do filme “Diables” de Christophe Ruggia (2001), onde interpreta com uma autenticidade espantosa um garoto abandonado que foge com a irmã adorada. <br> <br>Após participações em “Problemas de um Dorminhoco” e em “Enquanto Houver Esperança”, Vincent Rottiers conseguiu dois outros belos papéis de adolescente sem ponto de referência: um protegido por Vanessa Paradis em “Mon ange” (2005) e outro acolhido por Julie Depardieu em “O Passageiro” de Eric Caravaca, um papel que lhe dará uma indicação ao César na categoria Melhor Revelação Masculina de 2007. <br> <br>Vincent Rottiers tentou em seguida uma incursão pelo gênero da comédia para o grande público (“A ilha do tesouro”) e aparece no elenco de duas grandes produções históricas (“Na Mira do inimigo” e “Contratadas para matar”). Em 2009, o cinema intimista deu-lhe a oportunidade de viver personagens marcantes. Sua interpretação intensa nos faz perceber uma sensibilidade à flor da pele: a de um adolescente dividido entre sua família de adoção e sua mãe biológica em “Feliz que minha mãe esteja viva” de Claude Miller e Nathan Miller e a de um trapaceiro em “No princípio” e em “Aguente a barra para todo mundo sair do buraco”.




Participação nos filmes

  • A marcha
  • A marcha

A marcha

La marche (França 2013). Com Olivier Gourmet, Vincent Rottiers. Em cores/120’.

Sinopse

Sinopse

De Nabil Ben Yadir. Em 1983, na França sob o domínio da intolerância e violência racial, três jovens adolescentes despertam uma marcha pacífica pela igualdade e contra o racismo entre Marselha e Paris. Apesar das dificuldades e resistência encontrada, o movimento gera um impulso de esperança inspirado por Gandhi e Martin Luther King, trazendo ao país uma nova face.
  • Bodybuilder
  • Bodybuilder
  • Bodybuilder

Bodybuilder

(França 2014). De Roschdy Zem. Com Marina Foïs, Vincent Rottiers, Yolin François Gauvin. Em cores/100’. Classificação etária Livre.

Sinopse

Sinopse

Antoine Morel costumava morar com a sua mãe e o seu irmão mais velho, mas por causa de seus crimes e suas associações com pequenas gangues criminosas, é obrigado a se mudar para a casa de seu pai, Vincent Morel, um bodybuilder e homem com quem Antoine não tem contato algum há muitos anos.
  • Contratadas para Matar
  • Contratadas para Matar
  • Contratadas para Matar
  • Contratadas para Matar
  • Contratadas para Matar

Contratadas para Matar

Les Femmes de l'ombre (França 2008). De Jean-Paul Salomé. Com Déborah François, Julie Depardieu, Julien Boisselier, Marie Gillain, Robin Renucci, Sophie Marceau, Vincent Rottiers, Xavier Beauvois. Em cores/120’.

Sinopse

Sinopse


Maio de 1944. Cinco mulheres de uma unidade de comando saltam de pára-quedas na França ocupada pelos nazistas com a audaciosa e perigosa missão de proteger o segredo do desembarque do Dia D e eliminar o Coronel Heindrich, comandante da contra-inteligencia alemão. Louise é uma atiradora treinada e viúva do líder da Resistência. Jeanne é uma prostituta sem sentimentos que não hesita em matar. Gaëlle é uma jovem e brilhante expert em explosivos desesperada para ver alguma ação. Suzy é uma estonteante showgirl que foi amante de Heindrich. Maria é uma condessa italiana encoberta pela a Resistência Francesa. Juntas elas lutarão para manter o segredo do Dia D encoberto.

  • Enquanto Houver Esperança
  • Enquanto Houver Esperança
  • Enquanto Houver Esperança
  • Enquanto Houver Esperança

Enquanto Houver Esperança

La Maison de Nina (França 2008). De Richard Dembo. Com Agnès Jaoui, Bernard Blancan, Vincent Rottiers. Em cores/112’.

Sinopse

Sinopse


Nina, diretora de um orfanato no final da 2a. Guerra Mundial, trabalha duro para cuidar e proteger seus filhos. Quando as crianças judias deportadas da Alemanha chegam, o caos se instaura. Nina precisa ir muito além dos limites profissionais para reestabelecer a paz entre suas crianças. Junto, eles descobrem unidade na diversidade, o valor da fé, a coragem para esperar viver novamente depois do despertar da catástrofe e ruína.

  • Feliz que Minha Mãe Esteja Viva
  • Feliz que Minha Mãe Esteja Viva
  • Feliz que Minha Mãe Esteja Viva
  • Feliz que Minha Mãe Esteja Viva
  • Feliz que Minha Mãe Esteja Viva

Feliz que Minha Mãe Esteja Viva

Je suis heureux que ma mère soit vivante (França 2009). De Claude Miller. Com Vincent Rottiers. Em cores/90’.

Sinopse

Sinopse


Aos quatro anos, Thomas foi abandonado pela mãe adolescente junto com seu irmão mais novo, ainda bebê. Os dois meninos foram adotados por um casal disposto a fazer com que o passado deles ficasse para trás. Mas, enquanto seu irmão seguiu em frente sem grandes questionamentos, Thomas passou a vida buscando secretamente a mãe biológica, Julie. Quando finalmente a encontra, aos 20 anos, desenvolve com ela uma relação que se intensifica ao ponto de se tornar uma vida paralela no cotidiano do jovem.
Baseado em fatos reais.
* Melhor Roteiro - Festival de Montreal 2009 *

  • Guardiões da Ordem
  • Guardiões da Ordem
  • Guardiões da Ordem
  • Guardiões da Ordem

Guardiões da Ordem

Sphinx (França 2010). De Nicolas Boukhrief. Com Cécile de France, Julien Boisselier, Vincent Rottiers. Em cores/105’.

Sinopse

Sinopse

Simon e Julie, dois policiais que trabalham à noite, se deparam com um jovem trabalhador que atacou um de seus colegas, aparentemente sem motivo algum. Logo percebem que o rapaz está fora de si, devido ao uso de alguma droga que o deixou completamente alterado. Assim, a dupla passa a investigar o caso, tentanto rastrear a ortigem da substância e quem está por trás de sua fabricação.
  • L'Île aux trésors
  • L'Île aux trésors
  • L'Île aux trésors
  • L'Île aux trésors
  • L'Île aux trésors

L'Île aux trésors

(França, Grã-Bretanha (Reino Unido, UK), Hungria 2006). Com Vincent Rottiers. Em cores/95’.

Sinopse

Sinopse

De Alain Berbérian.


Um tesouro escondido numa ilha das Antilhas. Um pirata sem a perna direita, sem navio, traidor e sanguinário e sem o mapa do tesouro. Uma baronesa perdulária, sem escrúpulos, viúva negra, sem um tostão, mas com um navio. Um jovem destemido e desmiolado, mas com o mapa do tesouro guardado em algum canto de sua memória fraca. Um médico bêbado, providencial especialista em memórias fracas e outras amnésias atípicas... É esta a equipe dos sonhos que levanta âncora numa certa manhã do ano de mil setecentos e alguma coisa, rumo à ilha dos tesouros com suas enseadas de areia rosa...

  • Meu Anjo
  • Meu Anjo
  • Meu Anjo
  • Meu Anjo
  • Meu Anjo

Meu Anjo

Mon ange (Bélgica, França, Holanda 2004). Com Claude Perron, Eduardo Noriega, Vanessa Paradis, Vincent Rottiers. Em cores/88’.

Sinopse

Sinopse

De Serge Frydman.


No meio da noite, Colette recebe um telefonema: uma desconhecida lhe suplica que vá buscar seu filhinho e o leve até ela. Mas a criança, Billy, na verdade aproxima-se perigosamente da idade adulta. E quando sua mãe é morta, Colette não sabe mais o que fazer para se ver livre dele...


  • Mil Sóis
  • Mil Sóis
  • Mil Sóis

Mil Sóis

Mille Soleils (França 2005). De Mathieu Vadepied. Com Olivier Perrier, Vincent Rottiers. Em cores/22’.

Sinopse

Sinopse


Yann tem 18anos e é filho de pescador. Cresceu no Croisic. Quando vê que Lena, sua amiga de infância, voltou ao local, ele quer chamar a atenção dela.

  • Na Mira do Inimigo
  • Na Mira do Inimigo
  • Na Mira do Inimigo
  • Na Mira do Inimigo
  • Na Mira do Inimigo

Na Mira do Inimigo

L'Ennemi intime (França, Marrocos 2007). Com Albert Dupontel, Aurélien Recoing, Benoît Magimel, Eric Savin, Marc Barbe, Vincent Rottiers. Em cores/111’.

Sinopse

Sinopse

De Florent Emilio Siri.

No ano de 1954, foi criada a força civil Frente de Libertação Nacional para libertar a Argélia, então colônia francesa há 130 anos. Em resposta às resoluções da FNL, para negociar a independência, a França enviou 500 mil jovens recrutas para lutarem. Em 1959 dentro do próprio ambiente militar, a tendência à loucura e ao mal se expressava neste período obscuro. Ali, franceses tornaram-se torturadores, não importando se eram crianças, adultos ou idosos, deixando de lado seus valores humanos e, muitas vezes, esquecedo de quem eram. Um dos soldados, chamado pelos companheiros de tenente substituto, começa a se questionar até que ponto esta guerra é realmente justa.