Romane Bohringer

Romane Bohringer

Biografia

Filha do ator francês, Richard Bohringer, Romane Bohringer teve sua primeira experiência na sétima arte ao lado do pai no filme “Kamikaze”, ainda durante a adolescência. No ano em que passou no vestibular, foi contratada por Peter Brook para encarnar Miranda, no teatro, na peça "A Tempestade" de Shakespeare. Essa experiência deixou-lhe uma forte impressão e a persuadiu a se tornar definitivamente atriz. <br> <br>Em 1992, Cyril Collard ofereceu-lhe o doloroso papel de Laura no seu “Noites Felinas”. Esse filme, surpreendente sucesso, trouxe-lhe fama e um César de Melhor Revelação Feminina. Romane gosta de representar personagens atormentadas: uma jovem apagada que vive por procuração, para Claude Miller (“A Acompanhante”), uma pintora introvertida, com Martine Dugowson (“Mina Tannenbaum”) ou ainda uma manipuladora desequilibrada, para Gilles Mimouni ("O Apartamento"). Graças a sua popularidade, foi contratada em 1995 no papel de uma mulher invasora e onipresente, para uma grande produção europeia de David Thewlis em “Eclipse de uma paixão” de Agnieszka Holland. <br>Ao fim dos anos 90, sua atividade teatral se adensa e ela se afasta do cinema, escolhendo agora cuidadosamente seus papeis. Após alguns filmes confidenciais e curtas metragens, Romane Bohringer volta às telas em 2001 com o conto fantástico “Le petit Poucet”. No ano seguinte, seu caminho cruzou com o do diretor Benoît Cohen que lhe ofereceu um dos papéis principais no filme “Nos enfants chéris”, e depois em “Qui m'aime me suive “, em 2005. A atriz não hesitou em participar de projetos ambiciosos: emprestou sua voz ao documentário sobre animais de Luc Jacquet, “A Marcha dos Pinguins“, acompanhou Chantal Richard à África para o melancólico “Lili et le baobab”, apoiou o primeiro longa metragem do jovem Djibril Glissant, encarnando uma jovem misteriosa em “Eclaireur” e não pensou duas vezes antes de atuar em um filme de Richard Bohringer, “C'est beau une ville la nuit”, uma adaptação de seu romance epônimo.




Participação nos filmes

  • A Acompanhante
  • A Acompanhante
  • A Acompanhante

A Acompanhante

L'accompagnatrice (França 1992). De Claude Miller. Com Claude Rich, Elena Safonova, Julien Rassam, Richard Bohringer, Romane Bohringer, Samuel Labarthe. Em cores/116’.

Sinopse

Sinopse

Sophie, 20 anos, mora num modesto apartamento do bairro do 18ème, com sua mãe, professora de piano, que a criou sozinha e pela qual sente um pouco de rancor e total indiferença. Sophie é contratada como acompanhante por Irène, uma cantora já célebre, apesar de sua pouca idade. A partir de então Sophie vislumbra um mundo de luxo e opulência e partilha de todos os segredos da solista...
  • A Camareira do Titanic
  • A Camareira do Titanic
  • A Camareira do Titanic
  • A Camareira do Titanic
  • A Camareira do Titanic

A Camareira do Titanic

La Femme de chambre du Titanic (Alemanha, Espanha, França, Itália 1997). De Bigas Luna. Com Aitana Sánchez- Gijón, Oliver Martinez, Romane Bohringer. Em cores/95’.

Sinopse

Sinopse

Operário desconfia que sua mulher o traiu. O filme é, não obstante, sobre a história de amor entre Horty e Marie, camareira do Titanic que procura um lugar para passar a noite, às vésperas da partida do navio. Chateado depois, Horty vai para o bar, onde conta sobre a noite que passou com a camareira do Titanic. Sem saber se ela sobreviveu ou não ao naufrágio, ele passa a fantasiar o romance entre os dois.

As Cento e uma noites

As Cento e uma noites

Les Cent et une nuits (França 1994). De Agnès Varda. Com Daniel Auteuil, Michel Piccoli, Alain Delon, Anouk Aimée, Fanny Ardant, Gérard Depardieu, Jane Birkin, Jean-Paul Belmondo, Jeanne Moreau, Marcello Mastroianni, Mathieu Demy, Patrick Bruel, Robert de Niro, Romane Bohringer, Sandrine Bonnaire. Em cores/122’.

Sinopse

Sinopse

O Senhor Cinema é quase centenário! Ex-ator, diretor e produtor, ele acredita personificar o próprio cinema e vive num castelo-museu, com seu mordomo-guardião, Firmin. Ele contrata uma jovem estudante, Camille, para exercitar aerobicamente sua memória, mas ela e seu amigo, Mica, querem fazer cinema. Eles armam então um complô para roubar dinheiro do velho, enquanto ele recebe seus amigos.
  • Lili e o Baobá
  • Lili e o Baobá
  • Lili e o Baobá
  • Lili e o Baobá

Lili e o Baobá

Lili et le baobab (França 2006). Com Romane Bohringer. Em cores/90’.

Sinopse

Sinopse

De Chantal Richard.


Lili, de 33 anos, é encarregada pela prefeitura de sua cidade de fotografar equipamentos financiados para a cidade-gêmea de Agnam, no Senegal. Lá, ela conhece Aminata, uma jovem que está em perigo...
* Menção especial do Júri do Festival de Cinema de Ouidah e do Festival de Filmes de mulheres de Créteil (2006) *.

Nos Enfants Chéris

(França 2003). De Benoît Cohen. Com Romane Bohringer. Em cores/82’.

Sinopse

Sinopse

Martin se prepara para sair de férias com sua mulher Ariane e sua filha Cerise, de quatro meses de idade. É então que ele cruza com Constance, seu amor de juventude. Ela está com seus dois filhos. Está resolvido : eles passarão alguns dias juntos, como amigos, sob o sol, na casa da família, como nos velhos tempos... Renascem então os problemas, as emoções, os sentimentos de um amor que acreditavam estar apagado...
O Apartamento

O Apartamento

L'Appartement (França 1996). Com Monica Bellucci, Romane Bohringer, Vincent Cassel. Em cores/116’.

Sinopse

Sinopse

Max vive em Paris e desiste de ir a Tóquio ao encontrar Lisa e se apaixonar por ela. Obcecado em conhecê-la, a segue até descobrir onde vive. Ao entrar furtivamente no seu apartamento, encontra a colega de Lisa, Alice e pensando ser a amada, dorme com ela. Para complicar ainda mais a história, Alice é namorada de um grande amigo de Max.
  • Quem me Amar me Siga
  • Quem me Amar me Siga
  • Quem me Amar me Siga
  • Quem me Amar me Siga

Quem me Amar me Siga

Qui m'aime me suive (França 2006). De Benoît Cohen. Com Julie Depardieu, Mathieu Demy, Romane Bohringer. Em cores/100’.

Sinopse

Sinopse

Aos 35 anos, Maxime Maréchal, médico brilhante, leva uma vida pacata com sua esposa advogada, seus amigos admiráveis e sua familia satisfeita. Até o dia em que ele encontra Chine, uma cantora que vai provocar um choque elétrico na sua vida, tão temido pelos seus próximos. Max decide então abandonar a sua profissão e dedicar-se à sua paixão – a música –, contactando os seus amigos de juventude e convencido de que quem o ama o apoiará no seu projeto…
QUI M'AIME ME SUIVE - Bande-annonce VF par CoteCine