Alain Resnais

Alain Resnais

Biografia

Alain Resnais nasceu em Vannes. Seus curtas-metragens, distinguidos por sua criatividade, lhe permitem ser encorajado pelo produtor Anatole Dauman. Fez "Guernica" (1950), "Nuit et Broulliard" (1955), "Toute la mémoire du monde" (1956) ou "Le chant du styrène" (1957). Testemunhas de sua habilidade, seus amigos da Nouvelle Vague, como Truffaut e Rivette já o consideravam um mestre. Com seus primeiros longas-metragens, "Hiroshima, mon amour" em 1959 e "L'annéé dernière à Marienbad" em 1960, ele adquire renome mundial. Renais sabe está rodeado de roteiristas ..... : Depois Duras e Robbet-Grillet, ele colabora com Cayrol para "Muriel" (1963), Semprum para "La guerre est finie" (1966), Sternberg para "Je t'aime, je t'aime" (1968), David Mercer para "Providence" (1977), Henri Laborit para "Mon oncle d' amérique" (1978), Bernstein para "Mélo" (1986). Em 1993, Smoking/no smoking premiado com numerosos Césars, foi co-escrito por Alain Resnais, Agnès Jaoui e Jean-Pierre Bacri. Ele os reencontra para o seu décimo-sexto longa-metragem: "On connait la chanson" que teve um grande sucesso de público.

Alain Resnais é uma das personalidades mais marcantes do cinema francês: "Meus filmes são uma tentativa, ainda que grosseira e muito primitiva, de aproximar-se da complexidade do pensamento, de seu mecanismo...."




Participação nos filmes

  • A Guerra Acabou
  • A Guerra Acabou
  • A Guerra Acabou
  • A Guerra Acabou
  • A Guerra Acabou

A Guerra Acabou

La Guerre est finie (França 1966). De Alain Resnais. Com Antoine Bourseiller, Michel Piccoli, Yves Montand. Em preto e branco/121’.

Sinopse

Sinopse


Diego é um militante comunista espanhol, habituado às passagens em fronteira para missões clandestinas. Ele retorna a Paris, onde vive com um nome falso, na tentativa de encontrar um de seus companheiros e impedi-lo de voltar a Madri, onde poderá ser preso pela polícia franquista.

A Vida é um Romance

La Vie Est un Roman (França 1983). De Alain Resnais. Com Fanny Ardant. Em cores/111’.

Sinopse

Sinopse

Resnais conta três histórias. Na véspera da Primeira Guerra Mundial, o Conde Forbek começa a construir um fantástico castelo em uma floresta. Após o conflito, ele utiliza sua obra para moldar uma sociedade utópica, fazendo uma verdadeira lavagem cerebral em seus amigos. Anos depois, o castelo é usado como uma escola e, durante as férias de verão, é também palco de uma conferência sobre educação, onde ocorre a segunda história do filme. Ao mesmo tempo, algumas crianças ficam no castelo contando seus próprios contos medievais.
  • Amar, beber e cantar
  • Amar, beber e cantar
  • Amar, beber e cantar
  • Amar, beber e cantar

Amar, beber e cantar

Aimer, boire et chanter (França 2014). De Alain Resnais. Com Hippolyte Girardot, Michel Vuillermoz, Sabine Azema. Em cores/104’.

Sinopse

Sinopse

O boato de que o amigo George está gravemente doente e tem apenas mais alguns meses de vida abala um grupo de teatro amador que tenta ensaiar uma nova peça.
  • Amores Parisienses
  • Amores Parisienses
  • Amores Parisienses
  • Amores Parisienses
  • Amores Parisienses

Amores Parisienses

On connaît la chanson (França 1997). De Alain Resnais. Com Agnès Jaoui, André Dussolier, Jane Birkin, Jean-Paul Roussilon, Jean-Pierre Bacri, Lambert Wilson, Sabine Azema. Em cores/120’.

Sinopse

Sinopse


Os desencontros amorosos de seis personagens, divididos entre suas rotinas profissionais e os dilemas do coração. Ao som de clássicos da música popular francesa, eles viverão alguns mal-entendidos capazes de gerar crises de ciúmes, stress e paixões inebriantes.

  • As Estátuas Também Morrem
  • As Estátuas Também Morrem
  • As Estátuas Também Morrem
  • As Estátuas Também Morrem

As Estátuas Também Morrem

Les Statues meurent aussi (França 1953). De Alain Resnais, Chris Marker. Em preto e branco/29’.

Sinopse

Sinopse


Um documentário sobre a arte negra torna-se um panfleto anti-colonialista e anti-racista. Neste potente poema, ritmado pelas formas das estátuas africanas e pelo texto de Chris Marker, expõe-se a opressão e a destruição de uma arte e de um povo por outro povo.

Coleção Nouvelle Vague

Coleção Nouvelle Vague

(França 2009). De Alain Resnais, François Truffaut, Jean-Luc Godard. Em cores/100’.

Sinopse

Sinopse

Reunião de nove curtas-metragens realizados pelos diretores mais expressivos da famosa escola cinematográfica francesa, que encontrou seu auge da década de 60.
  • Ervas Daninhas
  • Ervas Daninhas
  • Ervas Daninhas
  • Ervas Daninhas
  • Ervas Daninhas

Ervas Daninhas

Les Herbes folles (França 2009). De Alain Resnais. Com André Dussolier, Emmanuelle Devos, Mathieu Amalric, Sabine Azema. Em cores/104’.

Sinopse

Sinopse


Marguerite, dentista solteira, tem sua bolsa roubada na saída de uma loja. Sem que ela saiba, a carteira vai parar no chão de um estacionamento, onde é encontrada ao acaso por Georges, casado e pai de dois filhos. Movido pela curiosidade, ele examina os documentos no interior e encontra uma foto da proprietária. Intrigado, ao invés de ir à policia devolver a carteira perdida, ele decide guardá-la consigo. Inicia-se assim uma grande aventura amorosa para ele e Marguerite.
Baseado no romance L’incident, de Christian Gailly.
* Prêmio pelo conjunto da obra no Festival de Cannes 2009.

  • Eu te amo, eu te Amo
  • Eu te amo, eu te Amo
  • Eu te amo, eu te Amo
  • Eu te amo, eu te Amo

Eu te amo, eu te Amo

Je t'aime, je t'aime (França 1968). De Alain Resnais. Com Claude Rich. Em cores/91’.

Sinopse

Sinopse

Após uma tentativa de suicídio malsucedida, um homem é selecionado para participar de uma experiência de viagem no tempo, só testada em ratos até então. Um imprevisto na experiência faz com que ele passe a vivenciar momentos do seu passado de forma fragmentada e aleatória.
Guernica

Guernica

(França 1950). De Alain Resnais. Em preto e branco/13’.

Sinopse

Sinopse


O bombardeamento da cidade de Guernica pela aviação nazista, em favor de Franco, é evocado através do afresco de Picasso e de outras de suas obras.

  • Hiroshima Meu Amor
  • Hiroshima Meu Amor
  • Hiroshima Meu Amor

Hiroshima Meu Amor

Hiroshima mon amour (França, Japão 1959). De Alain Resnais. Com Bernard Fresson, Eiji Okada, Emmanuelle Riva, Pierre Barbaud, Stella Dassas. Em preto e branco/90’.

Sinopse

Sinopse


Participando de um filme sobre a paz em Hiroshima nos anos 50, atriz francesa passa a noite com um arquiteto japonês às margens do Rio Oda. Tudo isso traz lembranças de sua juventude na cidade de Nevers durante a Segunda Guerra Mundial, período no qual foi perseguida e apaixonou-se por um soldado alemão.